Serviço de Água, Esgoto e Meio Ambiente do Município de Araras
Plano de Metas

Saema adquire 2 novos reservatórios para zonas leste e sul


Dispositivos têm capacidade para armazenar 1 milhão de litros de água cada um; investimento faz parte do Plano de Metas para conter a crise hídrica

Arquivo/Saema

Um dos reservatórios será instalado na Praça Oswaldo Colombini, no Parque Industrial, ao lado de um já existente no local

Na última semana foram assinados contratos para a aquisição de mais dois reservatórios com capacidade de 1 milhão de litros de água cada um. A medida faz parte das ações de médio prazo do Plano de Metas, conjunto de medidas que o Saema (Serviço de Água, Esgoto e Meio Ambiente) de Araras estabeleceu no início do ano para enfrentar a crise hídrica.


Os reservatórios serão tubulares metálicos. Um deles, modelo elevado, medindo 22 metros de altura e 7,8 metros de diâmetro será instalado na Praça Oswaldo Colombini, no Parque Industrial, entre as ruas Mato Grosso e Santa Catarina, ao lado de um reservatório já existente com capacidade para 350 mil litros de água - este foi construído há mais de 40 anos e será reformado, assim que o novo sistema entrar em operação.


Já o outro reservatório, modelo apoiado, 17,84 metros de diâmetro por 5 metros de altura, será instalado próximo ao Residencial Portal do Sol, empreendimento construído por meio do programa Minha Casa, Minha Vida, na Avenida Luis Carlos Tunes (Via Novela), zona leste.


Para o presidente do Saema Felipe Dezotti Beloto, aos poucos as metas estabelecidas para conter a crise hídrica vão sendo cumpridas.


“Esse é mais um passo importante que estamos dando dentro das metas estabelecidas para enfrentar a crise da falta d’água. Depois de cumprir as metas de curto prazo, já estamos executando também as de médio prazo”, disse.


O valor total do investimento é de R$ 1.967.592,95, sendo que o reservatório da zona leste custou R$ 1.166.878,98 e o da zona sul, R$ 800.713,97. A empresa vencedora do processo licitatório foi a Antenor Verona & Cia Ltda (Metalúrgica Verona), da cidade de Vista Alegre do Alto.


As ordens de serviços deverão ser entregues na semana que vem e, a partir daí, a empresa terá prazo de quatro meses para a instalação dos reservatórios.


Plano de Metas


O Saema e a Prefeitura Araras lançaram em janeiro deste ano um conjunto de metas para enfrentamento do período de estiagem – as ações foram estabelecidas em medidas de curto prazo (6 meses), médio prazo (6 a 24 meses) e longo prazo (além de 24 meses).


As medidas de curto prazo já foram concluídas, sendo que entre elas estava a ampliação de captação de água do Rio Mogi Guaçu, passando de 200 litros/segundo (média de 17 milhões de litros/dia) para 340 l/s (média de 29 milhões de litros/dia) – serviços concluídos e colocados em operação no final do mês de março.


A medida proporcionou que fosse feita uma reserva maior da água dos reservatórios, que são abastecidos basicamente com a água de chuva, para o enfrentamento do período da estiagem que esta por vir.

Com essa melhoria passou-se a utilizar aproximadamente 80% da água do Rio Mogi Guaçu para distribuição a população, com o restante sendo captado das represas - anteriormente a situação era inversa.


Ações já concluídas

Medidas Curto Prazo (6 meses)
• Interrupções no abastecimento de água (racionamento);
• Campanha informando e ensinando como economizar água;
• Ampliação da fiscalização e aplicação de multas ao desperdício;
• Ampliação do atendimento pelo 0800 e criação de serviço por aplicativo;
• Redução do mínimo de consumo (de 18.000 l para 10.000 l);
• Incentivo (desconto em conta) para quem economizar água (abaixo de 5.000 l);
• Suspensão da emissão de certidão de diretrizes para novos parcelamentos de solo;
• Desassoreamento da barragem Hermínio Ometto (Sobradinho) 
• Transposição de águas de microbacias para restabelecimento da barragem Hermínio Ometto; 
• Ampliação da captação de água do Rio Mogi Guaçu de 200 l/s para 340 l/s;
• Perfuração de poços artesianos para abastecimento em locais específicos; sendo executada


Medidas de Médio Prazo (6 à 24 meses)
• Implantação de 11 mil novos hidrômetros, substituindo equipamentos antigos e deteriorados; sendo executado 
• Executar reflorestamento das APPs das represas visando à manutenção da quantidade e da qualidade das águas; sendo executado
• Implantação de mais 2 (dois) reservatórios de 1 milhão de litros de água nas regiões leste e sul, pra suprir demanda de consumo;

 

Ederaldo Poy/Saema 

26/06/15

 
Comunicado

Furto de fiação de energia interrompe abastecimento de água na zona leste

 

O Saema (Serviço de Água, Esgoto e Meio Ambiente) comunica que faltará água na região da zona leste nesta quinta-feira (18).

 

O problema está relacionado ao furto da fiação de energia elétrica que alimenta as bombas dos reservatórios de água, responsáveis pelo abastecimento da região.

 

A equipe de manutenção elétrica da autarquia está no local realizando os reparos.

 

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone de emergência 0800-014-4321.

 

Saema/PMA

18/06/15 

 
Arborização

Em 2 anos, DMA plantou mais de 4,2 mil mudas em áreas verdes e passeios públicos

Trabalho foi intensificado com o lançamento do projeto Araras Mais Verde, que prioriza o plantio em áreas com carência de árvores, com a ajuda da comunidade

                                                                                                                                         Secom/PMA

1º plantio do projeto Araras Mais Verde aconteceu no último sábado (13), próximo às avenidas Loreto e José Marques da Silva

Tornar Araras cada vez mais a Cidade das Árvores é a meta principal do Departamento de Meio Ambiente que, em dois anos, realizou e monitorou o plantio de 4.202 mudas de árvores, sendo 3.850 em áreas verdes e mais 352 em passeios públicos.

 

Trabalhos de educação ambiental também somaram o plantio de 1.492 mudas em escolas da cidade, resultado ou de ação junto com estudantes ou plantadas pelas unidade escolares.

 

Os números foram divulgados pelo DMA, órgão veiculado ao Saema (Serviço de Água, Esgoto e Meio Ambiente de Araras), e envolvem ações realizadas em 2014 e 2015. O gestor ambiental do DMA Daniel Kobori explica que os plantios foram realizados pelo departamento e também por empresas e proprietários de loteamentos.

 

“Além de realizar o plantio, também orientamos empresários e proprietários de loteamentos para o manejo correto e a indicação das melhores áreas públicas que precisam de arborização”, explicou.

 

O Departamento quer intensificar ainda mais a arborização urbana e, para isso, pede também a participação da população. Esse é o foco o novo projeto Araras Mais Verde, lançado no último sábado (13), em área verde, localizada próximo às avenidas Loreto e José Marques da Silva, em frente ao Clube dos Bancários.

 

No local, foram plantadas 40 mudas de espécies nativas variadas, como ipê branco, ipê amarelo, jequitibá, pau-ferro, jacarandá, jerivá, oiti, entre outras. O evento contou com a participação de integrantes do grupo de escoteiros Arara Azul e dos vereadores Breno Zanoni Cortella e Valdevir Carlos Anadão (Professor Dê).

 

O Projeto Araras Mais Verde tem como objetivos principais arborizar áreas onde há carência de árvores no município; sensibilizar, conscientizar e incentivar a participação popular gerando multiplicadores nas ações de arborização urbana e questões ambientais; e gerar um programa de educação ambiental quanto ao tema arborização urbana que tenha caráter contínuo.

 

O projeto incluirá nesta primeira fase o plantio em outras três áreas: Bosque 500 anos (Jardim Cândida), Praça Mário Vieira (Jardim Pedras Preciosas) e Praça Jorge Assumpção (José Ometto).

 

A arborização urbana traz muitos benefícios aos municípios. Mais que o embelezamento estético da paisagem urbana, a arborização ameniza a poluição sonora, permite a infiltração da água da chuva no solo atingindo os lençóis freáticos, abrigo a fauna, reduzem significativamente a poluição do ar, proporcionam conforto térmico e bem estar psicológico as pessoas, protegem o lençol freático, amenizam a força do vento, valorizam imóveis, proporcionam aumento na umidade relativa do ar, reduzem impactos do aquecimento global, diminui o microclima amenizando o efeito das ilhas de calor entre outros.

 

A ideia do projeto é estimular ainda mais a educação ambiental. As atividades de plantio serão amplamente divulgadas na mídia em geral, assim como informações sobre a importância da arborização urbana.

 

O projeto também tem por objetivo fomentar a formação de agentes socioambientais, multiplicando assim as ações voluntárias em prol da preservação ambiental. 

Secom/PMA

DMA, em dois anos, realizou o plantio de mais de 300 mudas em passeios e vias públicas

Semana do Meio Ambiente

A Semana do Meio Ambiente deste ano envolveu inúmeras ações de conscientização, mas teve como foco o lançamento de novos projetos que visassem o desenvolvimento sustentável.

 

O primeiro deles foi é o Programa Interno de Coleta Seletiva (Pics) do Saema, que entrou em vigor no dia 1º de junho. A iniciativa tem por objetivo a implantação de um sistema de coleta seletiva na autarquia e destinação do material coletado para a Cooperativa de Reciclagem Araras Limpa.

 

Já outro projeto importante lançado na última quinta-feira (11) foi o programa Selo Verde. De autoria do Executivo, a iniciativa foi apresentada à população junto ao lançamento do Fundo Municipal de Meio Ambiente na Câmara Municipal.

 

O Selo Verde atende à indicação feita pelo vereador Valdevir Carlos Anadão (Professor Dê) e possibilitará a concessão de certificado socioambiental, com o objetivo de reconhecer pessoas jurídicas que contribuem para o desenvolvimento sustentável, por meio de medidas de proteção, preservação e recuperação do meio ambiente, promovendo a melhoria na qualidade de vida da população.

 

Horácio Busolin Júnior / Secom

15/06/15 

 
Programa

Selo Verde irá impulsionar recuperação de nascentes e reflorestamento
Programa permite certificar empresas que contribuírem com medidas e iniciativas socioambientais; interessados terão que cumprir três requisitos, de um total de 13

                                                                                                        Horácio Busolin Júnior/Secom

Apresentação do Selo Verde ocorreu na Câmara Municipal

O Programa Selo Verde, lançado na última quinta-feira (11), vai impulsionar a recuperação de nascentes da bacia hidrográfica de Araras e o reflorestamento de áreas degradadas. A proposta do programa é atrair investimentos certificando empresas da cidade que contribuam com a realização de serviços que visem a preservação do meio ambiente e também dos recursos hídricos disponíveis na cidade.

 

A apresentação do programa ocorreu durante solenidade na Câmara Municipal de Araras. O evento contou com palestras do diretor do Departamento de Meio Ambiente Raul de Barros Winter, que explanou sobre o Selo Verde e o Fundo Municipal de Meio Ambiente, e também da professora doutora Adriana Cavalieri Sais, que ministrou a palestra Reflexões sobre degradação e recuperação da água de Araras. Ela também é coordenadora do curso de Agroecologia da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos) – campus Araras.

 

Participaram também do evento o vice-prefeito Carlos Alberto Jacovetti, o vereador Breno Zanoni Cortella, a secretária de Educação Elizabeth Carvalho Cilindri, além de proprietários rurais, empresários e estudantes da EJA (Educação de Jovens e Adultos).

 

O projeto do Executivo, que atende indicação do vereador Valdevir Carlos Anadão (Professor Dê), visa conceder certificado socioambiental, com o objetivo de reconhecer o trabalho de pessoas jurídicas que contribuírem com investimentos para o desenvolvimento sustentável, por meio de medidas de proteção, preservação e recuperação de áreas degradadas, o que irá consequentemente promover melhoria na qualidade de vida.

 

Para o vereador Professor Dê, o que motivou a indicação para elaboração do projeto foram os problemas enfrentados na cidade com relação a escassez de água. “Diante a crise hídrica que assolava a cidade em 2014, precisávamos criar mecanismos para o enfrentamento da falta de água e que contassem com a participação de toda a sociedade e dos empresários. Por isso, o Selo Verde será um marco legal para consolidar a implementação de políticas públicas ambientais. Este instrumento será importante inclusive para recuperarmos nossas nascentes e com isso preservar nossa água”, afirmou.

Segundo o diretor do DMA Raul de Barros Winter, o Selo Verde possibilitará a parceria com a iniciativa privada para a intensificação de serviços ambientais. “Em alguns Estados, existem mecanismos como o ICMS Ecológico e a possibilidade de investimento em projetos ambientais que abatam no Imposto de Renda. As leis que instituem o Fundo Municipal de Meio Ambiente e Selo Verde demonstram a preocupação dos Poderes Executivo e Legislativo no incentivo da realização de mais ações sustentáveis”, destacou.

                                                                                                        Horácio Busolin Júnior/Secom

O diretor do DMA Raul de Barros Winter explicou que a criação do programa irá intensificar a realização de mais serviços ambientais na cidade

O DMA ficará encarregado de apontar quais são as áreas degradadas e que precisam de recuperação. Além disso, poderá definir a forma de recuperação, que também poderá ser feita mediante o recolhimento de valores do Fundo Municipal de Meio Ambiente. “Empresas que tiverem interesse em recuperar uma nascente, por exemplo, poderão se inscrever no projeto. Dependendo do caso, poderemos utilizar os recursos do Fundo Municipal de Meio Ambiente para bancar a iniciativa”, completou.

 

A medida consta na Lei 4.761, de 27 de março, que autoriza o financiamento de planos e programas de “proprietários de áreas urbanas ou rurais que adotarem medidas de preservação de nascentes e matas ciliares”.

 

E é justamente a recuperação de nascentes um dos principais objetivos do Selo Verde. Diante da crise hídrica na cidade, o foco do projeto é incentivar as pessoas jurídicas a investir na recuperação de nascentes localizadas em suas áreas ou em outras que já fazem parte de levantamento realizado pelo DMA.

 

O diretor do DMA ainda assinalou que uma primeira nascente nas proximidades do Aeroporto Municipal será recuperada para que sirva de modelo às empresas que quiserem realizar este tipo de ação.

Um mapeamento realizado por um grupo de técnicos contratados pelo Saema (Serviço de Água, Esgoto e Meio Ambiente de Araras), em 2012, cadastrou um total de 163 nascentes na bacia hidrográfica que abrange Araras. No entanto, é preciso ainda um estudo mais aprofundado para saber quais delas precisam ser recuperadas.

 

O DMA tem visitado propriedades rurais para estabelecer uma parceria, saber sobre o interesse dos proprietários em permitir que os serviços ambientais possam ser feitos e convidá-los a participar do programa Selo Verde.

 

Como participar do projeto Selo Verde?

Interessados em participar do projeto Selo Verde poderão realizar as inscrições em período que ainda será estipulado pelo DMA. A documentação que comprova os requisitos exigidos deverá ser protocolada e tão logo encaminhada ao DMA, que fará a averiguação das informações e emitirá o certificado.

 

O Selo Verde terá validade de dois anos e poderá ser renovado por igual período, mediante nova análise dos requisitos.

Uma das vantagens é que a empresa poderá utilizar a certificação do Selo Verde na publicidade de seus produtos, até como forma de informar a população que a empresa está comprometida com o desenvolvimento sustentável.

 

Uma solenidade será realizada anualmente para entrega do certificado às empresas, em data pré-estabelecida. 

 

Para obter o certificado, as empresas interessadas terão que cumprir ao menos três dos requisitos de um total de 13, que constam na Lei nº. 4.760, de 27 de março de 2015.

 

Entre os principais requisitos a serem cumpridos estão desenvolver programa interno de uso racional de água; realizar programa interno de uso racional de energia elétrica; tratar adequadamente os resíduos sólidos; dispor de tratamento de esgoto ou ter fossa adequada ao meio ambiente; praticar ações voltadas para a produção mínima de lixo, medida pelos critérios de destinação correta dos resíduos, pela publicidade limpa, pelo consumo consciente, pela reutilização ou reaproveitamento de resíduos, e pela reciclagem dos produtos descartados; promover política de informação ao consumidor sobre o potencial impacto ambiental do produto comercializado e da atividade industrial desenvolvida, entre outros.

 

Fundo Municipal de Meio Ambiente

Além do lançamento do Selo Verde, a Prefeitura também apresentou o Fundo Municipal de Meio Ambiente, que consiste em um fundo de arrecadação de recursos provindos de dotações do orçamento anual do Município, créditos adicionais ou suplementares, contribuições de pessoas físicas ou jurídicas, doações, subvenções a fundo perdido, recursos provenientes de multas impostas por infração à Legislação Ambiental, dentre outros itens.

 

O fundo será administrado pelo Departamento de Meio Ambiente, pela Secretaria da Fazenda e pelo Condema (Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente).

 

O fundo será importante para dar subsídio e regulamentar a efetivação de repasse de recursos provenientes das empresas participantes do projeto Selo Verde.


Recuperação da água de Araras

Durante a solenidade de apresentação do Selo Verde, os participantes também assistiram ao vídeo Mata Ciliar: uma experiência socioambiental. O vídeo produzido pela Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo mostra exemplos de proprietários rurais que contribuíram com ações de preservação de matas ciliares e preservação da água em suas propriedades.

 

Após isso, a professora doutora Adriana Cavalieri Sais discursou sobre as razões da escassez de água no município e as ações que podem ser feitas para evitá-la. “Acredito muito no Selo Verde.

Isso representa mais um passo para refletirmos em relação a preservação da água. É preciso encarar o problema contando com a contribuição da sociedade e dos empresários no manejo correto da água e da agricultura”, disse a professora.

 

Adriana explicou que a crise hídrica deve-se a não infiltração da água no solo, impossibilitando o abastecimento adequado dos mananciais. “Como possibilitar a infiltração correta da água nos lençóis freáticos? Esta é a reflexão que temos que fazer. O solo da cidade é de basalto, o que já impossibilita uma melhor entrada da água. É aí que entra a importância da vegetação, principalmente nas áreas em que há nascentes. Outras medidas para preservação podem ser alcançadas com a demanda consciente da indústria e da população e a aplicação da agricultura sustentável”, completou a professora.

 

Horácio Busolin Júnior/Secom 

12/06/15

 
Semana do Meio Ambiente

1º plantio do Araras Mais Verde acontece sábado
Projeto tem como proposta envolver a comunidade na preservação das áreas em várias regiões da cidade

                                                                                                                                    Arquivo/Secom

Proposta do Araras Mais Verde é envolver a comunidade no plantio de novas mudas de árvores

A Prefeitura de Araras, por meio do Departamento de Meio Ambiente, inicia neste sábado (13) um projeto ambiental inovador: o Araras Mais Verde. Tornar o município cada vez mais arborizado é uma das metas do projeto, que tem a proposta de envolver também a comunidade para que participe das ações de plantio de árvores em áreas descobertas de vegetação.

 

O 1º plantio do projeto acontece sábado em área próxima às avenidas Loreto e José Marques da Silva, em frente ao Clube dos Bancários.

Serão plantadas 40 mudas de espécies nativas variadas, como ipê branco, ipê amarelo, jequitibá, pau-ferro, jacarandá, jerivá, oiti, entre outras.

 

O Projeto Araras Mais Verde tem como objetivos principais arborizar áreas onde há carência de árvores no município; sensibilizar, conscientizar e incentivar a participação popular gerando multiplicadores nas ações de arborização urbana e questões ambientais; e gerar um programa de educação ambiental quanto ao tema arborização urbana que tenha caráter contínuo.

 

O projeto incluirá nesta primeira fase o plantio em outras três áreas: Bosque 500 anos (Jardim Cândida), Praça Mário Vieira (Jardim Pedras Preciosas) e Praça Jorge Assumpção (José Ometto 1).

 

A arborização urbana traz muitos benefícios aos municípios. Mais que o embelezamento estético da paisagem urbana, ela ameniza a poluição sonora, permite a infiltração da água da chuva no solo atingindo os lençóis freáticos, abrigo à fauna, reduzem significativamente a poluição do ar, proporcionam conforto térmico e bem estar psicológico às pessoas, protegem o lençol freático, amenizam a força do vento, valorizam imóveis, proporcionam aumento na umidade relativa do ar, reduzem impactos do aquecimento global, e diminui o microclima amenizando o efeito das ilhas de calor, entre outros.

Educação ambiental e participação popular 

 

A ideia do projeto é estimular ainda mais a educação ambiental. As atividades de plantio serão amplamente divulgadas na mídia em geral, assim como informações que darão conta da importância da arborização urbana.

 

O projeto também tem por objetivo fomentar a formação de agentes socioambientais, multiplicando assim as ações voluntárias em prol a preservação ambiental.

Para estimular a participação popular, serão distribuídas camisetas do projeto Araras Mais Verde aos primeiros 200 participantes e também folders sobre arborização urbana. Os envolvidos na ação ainda receberão certificado de participação.

                                                                                                                                        Secom/PMA

Semana de Meio Ambiente contou nesta quinta-feira com palestra sobre recursos hídricos na Câmara Municipal 

Semana do Meio Ambiente

Este ano, a Semana do Meio Ambiente envolveu inúmeras ações de conscientização, mas teve como foco o lançamento de novos projetos que visassem o desenvolvimento sustentável.

 

O primeiro deles é o Programa Interno de Coleta Seletiva (Pics) do Saema, que entrou em vigor no dia 1º de junho. A iniciativa tem por objetivo a implantação de um sistema de coleta seletiva na autarquia e destinação do material coletado para a Cooperativa de Reciclagem Araras Limpa.

 

Já outro projeto importante, que será lançado nesta quinta-feira (11), é o programa Selo Verde. De autoria do Executivo, a iniciativa foi apresentada à população junto ao lançamento do Fundo Municipal de Meio Ambiente na Câmara Municipal.

 

O Selo Verde atende à indicação feita pelo vereador Valdevir Carlos Anadão (Professor Dê) e possibilitará a concessão de certificado socioambiental, com o objetivo de reconhecer pessoas jurídicas que contribuem para o desenvolvimento sustentável, por meio de medidas de proteção, preservação e recuperação do meio ambiente, promovendo a melhoria na qualidade de vida da população.

 

As atividades de apresentação do projeto começaram na manhã desta quinta-feira (11), na Câmara Municipal com a palestra Recursos Hídricos e a preservação do Meio Ambiente com a bióloga e responsável pelo setor de educação ambiental do DMA Bruna Talita Fatoretto. Além da palestra que contou com a participação de estudantes, houve distribuição de mudas pela Aehda (Associação de Educação do Homem de Amanhã) e exposição de animais taxidermizados, promovida pela Polícia Militar Ambiental.

 

Já às 19h, acontece a apresentação do programa Selo Verde e do Fundo Municipal de Meio Ambiente com palestra do diretor do DMA Raul de Barros Winter.

Em seguida, será realizada a palestra Reflexões sobre degradação e recuperação da água de Araras, ministrada pela professora doutora Adriana Cavalieri Sais, que é coordenadora do curso de Agroecologia da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos) – campus Araras.

 

A programação da Semana de Meio Ambiente começou com atividades de conscientização na Emeief Herminio Ometto. As atividades incluíram circuito de desenhos sobre meio ambiente, palestra e o plantio de nove mudas no entorno da Praça Oito de Abril – mudas nativas de ipês rosa, amarelo cássia-mimosa e quaresmeira serão repostas no lugar de quatro árvores que estavam com risco de queda iminente.

 

Além disso, dinâmicas de coleta seletiva foram realizadas no Parque Municipal Fábio da Silva de segunda (8) a quarta-feira (10) – a atividade segue também nesta sexta (12). Nas ações, a diretora de Divisão de Educação Ambiental Bruna Fatoretto orienta os alunos sobre como fazer a coleta seletiva correta e explica a importância da responsável dos resíduos sólidos.

 

Programação Semana do Meio Ambiente 2015

Sexta-feira (12)

Dinâmicas de coleta seletiva 

Atividades: gincanas de separação de lixo, distribuição de gibis com informações sobre a interação do lixo com o clima e slackline
Local: Parque Municipal Fábio da Silva Prado – Lago Municipal 
Horário: 8h30

Sábado (13)
1º plantio do projeto Araras Mais Verde
Objetivo: incentivar a comunidade para o plantio de mudas em áreas com carência de árvores
Local: área verde próxima ao Clube dos Bancários
Horário: 8h

 

Horácio Busolin Júnior /Secom

11/06/15

 

 

 

 
Socioambiental

Selo Verde certificará empresas que contribuem para a preservação do meio ambiente

Projeto será lançado nesta quinta-feira (11); ação faz parte da programação da Semana do Meio Ambiente

                                                                            Divulgação

Selo Verde será concedido às empresas que contribuírem para o desenvolvimento sustentável e preservação do meio ambiente 

Pessoas jurídicas interessadas em contribuir com a preservação do meio ambiente podem obter certificado socioambiental. Trata-se de projeto inovador em Araras denominado Selo Verde, que será lançado nesta quinta-feira (11), na Câmara Municipal, às 19h30.

 

O projeto do Executivo e que atende indicação do vereador Valdevir Carlos Anadão visa conceder certificado socioambiental, com o objetivo de reconhecer o trabalho de pessoas jurídicas que contribuírem com investimentos para o desenvolvimento sustentável, por meio de medidas de proteção, preservação e recuperação de áreas degradadas, o que irá consequentemente promover melhoria na qualidade de vida.

 

Para obter o certificado, as empresas interessadas terão que cumprir ao menos três dos requisitos de um total de 13, que constam na Lei nº. 4.760, de 27 de março de 2015.

 

Entre os principais requisitos a serem cumpridos estão desenvolver programa interno de uso racional de água; realizar programa interno de uso racional de energia elétrica; tratar adequadamente os resíduos sólidos; dispor de tratamento de esgoto ou ter fossa adequada ao meio ambiente; praticar ações voltadas para a produção mínima de lixo, medida pelos critérios de destinação correta dos resíduos, pela publicidade limpa, pelo consumo consciente, pela reutilização ou reaproveitamento de resíduos, e pela reciclagem dos produtos descartados; promover política de informação ao consumidor sobre o potencial impacto ambiental do produto comercializado e da atividade industrial desenvolvida, entre outros.

 

Outro objetivo apontado pelo diretor do Departamento de Meio Ambiente, Raul de Barros Winter, como um dos principais do Selo Verde é a recuperação das nascentes. “Diante da crise hídrica que estamos passando, o foco do projeto é incentivar as pessoas jurídicas para que invistam na recuperação de nascentes localizadas em suas áreas ou em outras que já fazem parte de levantamento realizado pelo DMA”, explicou Raul.

 

O DMA ficará encarregado de apontar quais são as áreas degradadas que precisam de recuperação. Além disso, poderá definir a forma de recuperação, que também poderá ser feita mediante o recolhimento de valores do Fundo Municipal de Meio Ambiente. “Empresas que tiverem interesse em recuperar uma nascente, por exemplo, poderão se inscrever no projeto. Dependendo do caso, poderemos utilizar os recursos do Fundo Municipal de Meio Ambiente para bancar a iniciativa”, completou.

 

A medida consta na Lei 4.761, de 27 de março, que autoriza o financiamento de planos e programas de “proprietários de áreas urbanas ou rurais que adotarem medidas de preservação de nascentes e matas ciliares”.

 

O diretor ainda assinalou que uma primeira nascente nas proximidades do Aeroporto Municipal será recuperada para que sirva de modelo às empresas que quiserem realizar este tipo de ação.

 

Fundo Municipal de Meio Ambiente

Nesta quinta-feira (11), além do lançamento do Selo Verde, a Prefeitura apresenta também o Fundo Municipal de Meio Ambiente, que consiste em um fundo de arrecadação de recursos provindos de Dotações do orçamento anual do Município, créditos adicionais ou suplementares, contribuições de pessoas físicas ou jurídicas, doações, subvenções a fundo perdido, recursos provenientes de multas impostas por infração à Legislação Ambiental, dentre outros itens.

 

O fundo será administrado pelo Departamento de Meio Ambiente, pela Secretaria da Fazenda e pelo Condema (Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente).

 

O fundo será importante para dar subsídio e regulamentar a efetivação de repasse de recursos provenientes das empresas participantes do projeto Selo Verde.

 

Na apresentação do programa ambiental na Câmara Municipal, os cidadãos interessados poderão conferir palestras que irão elucidar detalhes do Selo Verde e do Fundo Municipal.

 

Também na quinta-feira, às 9h, acontece a palestra Recursos Hídricos e a preservação do Meio Ambiente com a bióloga e responsável pelo setor de educação ambiental do DMA Bruna Talita Fatoretto. Já às 19h, acontece a apresentação do programa Selo Verde e do Fundo Municipal de Meio Ambiente com palestra do diretor do DMA Raul de Barros Winter.

 

Em seguida, será realizada a palestra “Reflexões sobre degradação e recuperação da água de Araras”, ministrada pela professora doutora Adriana Cavalieri Sais, que é coordenadora do curso de Agroecologia da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos) – Campus Araras. 

Como participar do projeto Selo Verde?

Interessados em participar do projeto Selo Verde poderão realizar as inscrições em período que ainda será estipulado pelo DMA. A documentação que comprove os requisitos exigidos deverá ser protocolada e tão logo encaminhada ao DMA, que fará a averiguação das informações e emitirá o certificado.

 

O Selo Verde terá validade de dois anos e poderá ser renovado por igual período mediante nova análise dos requisitos. 

Uma das vantagens é que a empresa poderá utilizar a certificação do Selo Verde na publicidade de seus produtos, até como forma de informar a população que a empresa está comprometida com o desenvolvimento sustentável.

 

Uma solenidade será realizada anualmente para entrega do certificado às empresas, em data pré-estabelecida.

 

Semana de Meio Ambiente 

A programação da Semana de Meio Ambiente segue até o dia 13 de junho, quando acontece o 1º Plantio do Projeto Araras Mais Verde, às 8h. O plantio será realizado em área verde localizada próximo às avenidas Loreto e José Marques da Silva, em frente ao Clube dos Bancários. Serão plantadas 40 mudas de espécies nativas variadas, como ipê branco, ipê amarelo, jequitibá, pau-ferro, jacarandá, jerivá, oiti, entre outras.

 

O Projeto Araras Mais Verde tem como objetivos principais arborizar áreas onde há carência de árvores no município; sensibilizar, conscientizar e incentivar a participação popular gerando multiplicadores nas ações de arborização urbana e questões ambientais; e gerar um programa de educação ambiental quanto ao tema arborização urbana que tenha caráter contínuo.

 

O projeto incluirá nesta primeira fase o plantio em outras três áreas: Bosque 500 anos (Jardim Cândida), Praça Mário Vieira (Jardim Pedras Preciosas) e Praça Jorge Assumpção (José Ometto).

 

Apresentação do Programa Selo Verde

Dia 11 – Quinta-feira 

9h - Palestra “Recursos Hídricos e a preservação do Meio Ambiente” com a bióloga Bruna Talita Fatoretto

19h - Apresentação do programa Selo Verde e do Fundo Municipal de Meio Ambiente com palestra do diretor do DMA Raul de Barros Winter
20h - Palestra Reflexões sobre degradação e recuperação da água de Araras, com professora doutora Adriana Cavalieri Sais, coordenadora do curso de Agroecologia da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos) – Campus Araras.

 

Horácio Busolin Júnior /Secom

10/06/15

 

 

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL

 

 

 

 

 

Notícias

Comunicado: rompimento de adutora pode causar falta d´água na região norte
Leia mais...
 
Pródébito 2: prazo para parcelamento de dívidas termina nesta sexta-feira

 

Leia mais...
 
Dia da Árvore: atividades comemorativas começaram nesta segunda-feira

 

Leia mais...
 
Saema inicia a 5ª Sipat na segunda-feira
Leia mais...
 
Saema discutirá o problema da estiagem em encontro no Centro Cultural
Leia mais...
 
Saema: palestra, saúde e higiene são atividades no início da 5ª Sipat

 

Leia mais...
 
Araras registra 55% menos chuva do que no ano passado
Leia mais...
 
Decreto autoriza multa a munícipe que gastar água
Leia mais...
 
Saema realiza campanha pela saúde do trabalhador
Leia mais...
 
Saema define devolução de taxas pagas em concurso cancelado
Leia mais...
 
Problema no sistema tem dificultado adesão do PróDébito do Saema

 

Leia mais...
 
Concurso público do Saema é cancelado
Leia mais...
 
0800 do Saema funcionará normalmente durante os jogos do Brasil

 

Leia mais...
 
Problemas ambientais transmitidos com bom humor

 

Leia mais...
 
0800 do Saema esta recebendo ligação de celular
Leia mais...
 
Servidores participam do programa “Conscientização Profissional”
Leia mais...
 
Semana do Meio Ambiente: bióloga do DMA faz palestra a alunos do Sesi
Leia mais...
 
13/05/14 - Blitze educativas utilizam humor para falar sobre economia de água

Leia mais...
 
09/05/14 - Comunicado: Saema interditará avenida para realização de obra

Leia mais...
 
07/05/14 - Reservatórios pichados por vândalos recebem pintura

Leia mais...

Pesquisa